Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Pouso (+18)

Perca-se aqui
Encontre-se ali
Navega em mim
Faz-me
Teu pouso
Repouso

Pedir-te eu ouso
E ouso
Com ousadia
Fadiga-me
Fadiga-te

Perca-se em meio às curvas
Curvas do meu corpo
Do meu ser
Faça-me crer
Ser perfeita pra você
Até o entardecer
Pra depois amanhecer

Obedecer
Entorpecer
Vermelhecer
Esmorecer

Gemer
Emudecer
Enlouquecer
E amolecer

Pousa
Porque quer
Voa
Quando quiser
Volta
Se puder



(Suelen Vieira)
Imagem - Apollonia Saintclair



Vazio

Sinto uma amplidão em mim
Sinto um vazio em mim
Ouço um silêncio em mim
Um silêncio que grita ordens
Ordens pra mim


Faça
Seja
Vença
Ame
Odeie

Todo esse vazio
Tem me enchido
De cansaço
Tem me enchido
O saco

Sinto-me cheia
De um vazio
Que tem me preenchido
Inteira
Tem me consumido
Inteira

Perdi a energia que revigorava-me
Sinto-me perdida
Busco essa energia
Não encontro
Engano-me

Sinto saudade do futuro
Vontade de chegar lá
Sinto-me em apuro
Vontade de sei lá
Ergo um muro
Prestes a desabar


(Suelen Vieira)





Em paz

Paz repleta de guerra
De engano
Barulho De Mentira Entorpecimento Paz Que de paz Só tem o nome Paz sem paz Falsa paz
(Suelen Vieira)

De alma pra alma (+18)

Transar é fácil
Dois seres ou mais Beijos, apertos Puxões, mordidas Chupos, gemidos Suor, pele, arrepio Contato Sexo
Mente presente? Nem sempre Muitas vezes Ausente
Presente Só o corpo Palavras vazias
Gerando Gemidos mais altos

Amar não Amar é mais complicado Duas almas Duas histórias Duas vidas Dois passados
Ritmo Sintonia Sinergia Troca Cheiro
Somado a isso Toda a animalidade Do sexo Toda loucura Agora com ternura Doçura Tato Muito tato no contato
Troca de energia Que energiza O arrepio é diferente Tudo é mais intenso O prazer Mais prazeroso O silêncio  Aquieta Encosta, sente o coração Abraça Não larga Encaixa Dorme
Parece-te simples? A mim parece complexo E bem desafiador E bem gostoso Gozo de corpo Gozo de pele Gozo de alma

(Suelen Vieira)

Leonina

Ela é de agosto É leonina É força E dor também Ela é silêncio É barulho É amor E mágoa também
De O Rappa Até Bell Aproveite o céu Que ela tem pra te dar Enquanto por perto Ela quiser ficar Se a vontade acabar Mesmo presente Ela ausente estará
O olhar entrega Toda a fraqueza Que a força Esconde O olhar entrega A intensidade Na frieza Frieza quente Indiferença  Nem um pouco Indiferente
Ela é leonina Isso eu já disse Leonina Fascina Encanta  Domina Espanta O fraco Atrai  O louco
E que loucura O que ela procura O que ela procura? Talvez aventura Talvez doçura Talvez seja a cura Mas por favor,  Sem frescura
Ela é cor Em tela branca É o vento Que árvore arranca O mesmo vento Que suave Encanta Espanta
Menina de leão Leal Real Surreal Ideal
Tua pedra
O cristal Nada igual
Ela é chocolate Mas é meio-amargo Ela é café Mas é sem açúcar Ela é vodka E com pouco gelo Ela é melanina  Mesmo tão branca Ah menina
Tu contes comigo De farra A colo
Tô contigo
De polo a polo


(Suelen Vieira)




Dias de poesia

Tem dia que é de poesia
É sério
O silêncio não é silêncio
E dentro de você há música
Eu juro
Música
Em você
Em mim

Você já parou pra ouvir?!
São acordes que vêm da alma
Silencia e sinta
O peito chega vibra
É música
É vida
É luz
E alegria

Porque no fim
Somos todos poesia
Somos verso
E rima
Ritmo
E balanço

Balanço
Vem no me balanço
Sente esse balanço
Sinta a música
Seja a música

Há música tocando em você
Nesse momento
E o que eu posso dizer
É que dias de poesia assim
São raros pra mim



(Suelen Vieira)

Panqueca

Boba
Sempre fui boba
Sempre, sempre
Quando criança pensava ter inventado a palavra PANQUECA
Gostava do som
Chamava as pessoas de PANQUECA
- Você é muito panqueca..

Também pensava que as luzes da Samambaia eram os Estados Unidos
- Um dia eu ainda vou lá
Via a revista Casa&Cor e falava, vou ter uma casa assim
E um quarto assim
E um jardim assim
E ouvia que sonhava demais..
- Eu vou ter, você vai ver..

Fazia shows pra uma plateia de ninguém
O lençol virava o vestido das épocas antigas
Eu era princesa
Eu era rainha
Passava horas apenas e somente, sonhando acordada
Imaginando príncipes
Campos verdes
Girassóis
Não fui uma criança de correr na rua, sabe
Andar de bicicleta
Essas coisas
Fui uma criança lúdica
Sonhadora

E me tornei uma pré adolescente e uma adolescente
Igualmente sonhadoras
Quantos dramas
Amores
Cadernos
Rabiscos
Rasuras
- Agora vou morrer, certeza!

Até que me tornei uma adulta
E adivinhem só
Não mudou nada
Sonhadora
Lúdica
Apaixonada
Sofre
Sorri
Chora
Ama
Desama
Eu só não…

Ela

E então ela foi tirando,
Roupagens
Maquiagens
Camuflagens
Bobagens
Bagagens

E tirou mais,
Padrões
Contradições
Repressões
Imposições

Regras
Rasuras
Baboseiras
Estribeiras
Boas maneiras

E foi se encontrando
Ela
Com suas
Fraquezas
Franquezas
Incertezas

De tanto que tirou,
Leve ficou
Ela
Sendo ela
Com todas as carências
Indecências
Incoerências
Apenas ela!

Não querendo ser mais ninguém
A não ser ela!

(Suelen Vieira)

Construção

Construir leva tempo
Tijolo por tijolo
Planejamento
Comprometimento
Argamassa
Cimento
Não sou boa em construção
Mas entenda a alusão
Construir leva tempo
Hábitos
Conhecimento de um novo mundo
Vontade
Comprometimento
Compromisso
Pedaços
Um shampoo
Um condicionador
Uma camisola
Um livro
Uma gaveta
Uma foto
Construir leva tempo
E disso eu entendo
Poderíamos dizer que desconstruir é rápido
Em quantos minutos você colheu tudo de lá
Em dois minutos você não existia mais ali
Em dois minutos
Dois anos
Sumiram
Dois minutos
Mas agora volta pra casa
Tijolo por tijolo
Um a um
Em quanto tempo você derruba isso?
Em dois minutos vira tudo poeira
Em dois minutos
Some
Tudo aquilo
Destruir é rápido
Destruir é o xeque-mate
Desconstruir é que leva tempo
Desconstruir é que é demorado
Desconstruir é o construir ao contrário
Você vai se tirando dali aos poucos
Vai se anulando
Vai se apagando
Com todo cuidado
Com toda sutileza
Menos sorrisos
Menos alegrias
É um processo lento e doloroso do fim
Do fim
E no f…