Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2017

Sete erros

No dia que ela perceber o quanto é maravilhosa, o mundo tá ferrado. Quando ela parar de acreditar que seu cabelo não tá bom, que seu corpo tá errado, que sua postura é sua fraqueza, no dia que ela parar de acreditar nessa falácia, nesse dia o mundo perde uma menina emborcada, e ganha um puta mulherão. E vocês vão tá tudo ferrado, quem se aproveitou da sua autoestima baixa, da sua falta de confiança, sério, tão tudo ferrado. Ela vai acordar e vai se ver, e vai parar de jogar o jogo dos sete erros com o reflexo, e vai falar.. caralho, eu sou gostosa! Sou inteligente, sou sagaz, sou carinhosa. Caralho, essa mulher merece ser feliz sim, merece que queiram levá-la ao céu. Merece mais que motel. Ela vai se ver como ela é, como vocês sabem que ela é, como apenas ela não acreditava ser, como vocês não fizeram questão de a fazê-la crer. Sério mesmo. 'Ceis' tão tudo ferrado!


Texto: Suelen VieiraImagem: Luca Morelli

Uma frase

Amor no coração
Paixão na pele
Vinho na mente
A gente no chão
Eu em você
Você em mim
Tontura, quentura
Sua mão, minha cintura
Desejo, ansejo
Sua mão, meu cabelo
Tensão, tesão
Sua mão, meus lábios
Calor, fervor
Sua mão, por meu corpo todo
Percorre-me
Sem correr
Arrepio, na espinha
Cabeça gira
De vinho
De vontade
Eu imploro, por favor
Por favor
Me tenha, agora
Você começa lentamente
Abro a boca, não sai som
Te aperto com minhas pernas
Fica, pra sempre, fica
Tentativa esvoaçante
De te fundir ao meu corpo
De nos transformar num só corpo
Eu falo, falo e falo
Mais rápido, mais forte
Não para, me bate vai
Vai, vai, vai
Você em silêncio
Só ouço o ruído da sua paixão
Vai seguindo cada ordem minha
Até eu não mais conseguir falar
Nem gritar
Nem respirar
No meu êxtase, no seu êxtase
A gente se afoga em nós
Em paixão
Você finalmente fala sua única frase
Minha gostosa!


Suelen Vieira Imagem: Mattew Draw

E se ?

E se tivesse sido diferente?
Se, sei lá, tivéssemos nos encontrado mais tarde?
Ou mais cedo?
Se fôssemos, talvez, mais maduros?
Menos cabeças-duras?
Se tivéssemos tido menos brigas?
E se eu fosse menos ciumenta?
E se você tivesse em outra fase?
E se eu não tivesse pego seu celular aquele dia?
Ou se você não tivesse mandado aquela mensagem?
E se eu tivesse te amado com menos intensidade?
E se eu tivesse sido menos ansiosa com o amanhã?
E se eu não tivesse passado a viver sua vida?
E se você tivesse me dado as certezas que eu necessitava?
E se eu não necessitasse dessas certezas?
E se eu tivesse mais estabilizada emocionalmente?
E se você tivesse mais estabilizado nos teus projetos?
E se eu fosse uma prioridade?
E se eu não cobrasse tanto?
E se não tivesse acontecido a traição?
E se estivéssemos prontos?
E se?
E se?
Teria sido diferente?
Ou a vida é mesmo feita de uma sequência de atos inevitáveis?


Suelen Vieira
Com 13, na rua, escutou: - Já está no ponto, já tem peitinho. Primeiro assédio! Ser do sexo feminino é foda, acredite. Chegou mais tarde em casa, ouviu: - VADIA Primeiro desrespeito a honra! Com 14, quase estuprada em algum beco, porque o cara tava "muito afim" dela. - Mas você não gosta de mim? Se você gosta você tem que fazer isso! VOCÊ ESTÁ ME MACHUCANDO. - Não conta pra ninguém. VADIA! Segundo desrespeito a honra! Mesmo sendo virgem ainda.  Nada fácil ser mulher.. Tapa na cara, fala baixo, seja comedida. Você nunca vai conseguir casar com esse seu jeito. Fala baixo, seja comedida. Aula de português, vai agora pra direção! Ela estava me olhando com arrogância. Não estava não. ADVERTIDA! Abaixa teu olhar, pelo visto o incomodou. Faltou ponto pra me dar, porque eu consegui todos! Eu tinha que provar, eu sou boa, seu merda! - Você até que é uma boa aluna, apesar de topetuda! Fala baixo, comporte-se. Tomou um supapo, teve que ficar, não tinha pra onde fugir. Nada fácil ser m…

Batom

Vou pintar meus lábios de rosa pra você, vou te tocar com eles, te beijar, te chupar, te sugar.
Vou deixar você tocá-los também, enlouquecer, me entregar.
Eu sei que você me quer arfando, quer sentir o poder de me fazer derreter, de fazer eu me contorcer.
Você vai parar, olhar-me nos olhos e sorrir, com minha cara de desbaratino.
Vou ficar tímida, do tipo:
- Não me olha agora!
Só depois de me deixar mole vai vir subindo, beijando meu corpo em cada centímetro.
Agora é minha vez de te enlouquecer, te olhar nos olhos, ver você se perder, e me achar. Esforço mútuo em dar prazer.
As mãos e bocas se multiplicam, viramos pares de nós mesmos. Chego ao céu, uma, duas, três. Vem cá e me alcança. Chega ao céu comigo nessa dança.
Sorrio, besta..
Do quanto é fácil me encaixar a você!
Acordo, boba..
Divaguei ao passar um batom rosa matte!

Suelen Vieira

Coisa de gente grande

Ninguém é vítima aqui
Ela fica pelo sexo do bom
Ele pelo sexo fácil
Ninguém é vítima aqui
Não há algoz 
Nem perseguido
Ela fica pelo sexo bom
Ele pelo sexo fácil
Ninguém é vítima aqui
Suelen Vieira

Pétalas

Descubra-se inteira em várias partes
Não mais metade de um só todo
Inteira em pequenos pedaços
Pedaços de amizades
Pedaços de amores
Pedaços de espiritualidade
Pedaços de desamores
Pedaços de família
Pedaços de dissabores
Pedaços diferentes que te fazem
Pedaços que te são
Divide tua paixão
Pela arte
Pela escrita
Pela música
Pelo trabalho
Paixão nas paixões
Amor nas paixões
Amor por sua mãe
E também por sua amiga
E a outra amiga
E o outro amigo
Não seja mais metade de um só todo
Um só pedaço, incompleto, de algo
Ou alguém
Seja quem for
Ou o que for
Metades nunca serão um todo
Seja inteira, em pedaços miúdos de você
Inclusive um pedaço é só seu
Aquele que te faz plena e preenchida
Por si só, por si mesma
Baste-se

Suelen Vieira

Polos de mim

Romântica por natureza. Quer carinho, chameguinho, cafuné, na cama o café.
Sexual com certeza. Quer sexo toda hora. Três vezes seguidas. De quatro. De lado. De ponta cabeça. Cintada. Tapa na cara. Vadia. Gostosa.
Romântica. Quer dormir de conchinha. Quer te ouvir falar sobre o dia. Sobre os sonhos. Sobre a vida. Quer te conhecer melhor. Quer fazer amor. Meu bem. Minha linda.
Sexual. Quer te chupar em público. Te fazer gozar. Te enlouquecer.
Romântica. Quer te ligar no meio do dia pra dizer que te adora. Fazer drama. Fazer manha.
Sexual. Quer sentar em você. Gemer. Morder. Bater.
Romântica. Quer ver um filme com você. Comentar o filme. Aprender.
Eu sou as duas coisas. É quem eu sou. Aceito e reflito. Não posso matar um lado, pra predominar o outro.
Não posso fingir ou fugir, de uma de minhas essências.
Alimentar só um polo vai gerar eterna insatisfação. Frustração.
Eu sou as duas coisas, e quero quem queira as duas coisas também.
Os dois lados meus. Meiga. Cachorra.


Suelen Vieira

Li

Eu te li
Ali diante de mim
Li cada linha de expressão do seu rosto
Li cada curva do seu corpo
Li cada marquinha do sorriso
Li cada fio de cabelo
Li a íris de seus olhos
Li a cor deles
Li o seu arrepio
E aprendi onde tocar
pra fazer ele surgir
Aprendi o que fazer
pra que os olhos se apertem num sorriso
Li o cair da lágrima
E tentei evitá-las
Nem sempre consegui
Às vezes fiz surgir um sorriso ali
Perdido no teu rio
Li o timbre da sua voz
Tremido, gemido, suave, manhoso
Li o movimento do seu corpo
Decorei o seu adorado script
Li sua vinda
Li sua ida
Chorei com ela
Esperei a volta
Eu te transformei num poema
Pra não sofrer com a espera
Pra te ler sempre
Pra te ler agora


Suelen Vieira


Antônimos

Ela gosta do perigo, de brincar com o risco, mesmo não sabendo jogar esse jogo doentio.
Ela é tranquila, romântica, gosta de seriados, de comédia romântica.
Ela é quase sempre assim. Quase inteira assim.
Mas ela também se amarra em Tarantino, Gaspar Noé, fã de carteirinha de Trainspotting.
Vai de Elis Regina a Marilyn Manson em dois minutos.
Impossível saber o que a face tranquila dela está escondendo.
As vezes está te assassinando, e outras te desejando, tirando sua roupa ou calando sua boca.
Não aprendeu ainda a lidar com seus desejos, suas vontades, seu ciúmes, e sua ira.
Amor puro, ansiedade extrema, insegurança diante do espelho, segurança diante de você.
Por cima de você.
Por baixo de você.
Tudo. Nada. Mais ou menos. Quero. Não quero.
As vezes Sebastian Bach pra concentrar.
As vezes Funk pra relaxar.
As vezes vinho.
As vezes cerveja.
Sempre romântica, sempre carente, sempre revezando, entre apaixonada e desapaixonando.
As vezes falando demais. Outras calada demais.
E quase semp…

Mulhere-se

Algumas gostam de gatos
Outras de cachorro
Tem aquelas que preferem peixes
Afinal, menos trabalho

Tem umas que amam flores
E umas que preferem bombons
Tem ainda quem prefira uma bela foda
Junto de um belo vinho

Tem umas de leão
Outras de virgem
Tem as católicas
Tem as caóticas

Tem as românticas
Tem as objetivas
As que querem casar
E as que nem pensam nisso

Tem algumas que sonham com filhos
Tem outras, que simplesmente, não
Tem as donas de casa, tem as feministas
E ambas felizes, e nada de coitada, e nada de nazi

Tem muitas e muitas
Lutando  pra sustentar os filhos
SOZINHA, no singular mesmo
Indo limpar a casa de outras de nós
Que saem pra trabalhar todos os dias

Tem as boêmias
Tem as certinhas
As que transam no primeiro encontro
As que só depois do casório

Infelizmente tem as que apanham
Infelizmente tem as que morrem
Infelizmente tem quem ache que ele vai mudar
Infelizmente tem quem pense que não dá pra sem ele ficar

Mas
Felizmente, tem as que estão acordando
Felizmente, tem as que …
Cresça Floresça  Evolua Amadureça  Rompe certas raízes Mulher-se

Suelen Vieira
Permita o cair das lágrimas
Não se prenda a elas
Deixe-as cair
Não se apegue a 'sua' tristeza
Aliás, nem chame de sua
Não se aposse de sentimento ruim
Chore, sofra e retorne
Não cultue dor
Não cultue sofrimento
Não cultue a lágrima derramada
Ela já se derramou
Aquele momento
Esse momento
Já foi, já passou
A gente tem facilidade de se apegar a tudo, inclusive ao sofrimento
O desconforto, vira zona de conforto, tudo pra que se evite os movimentos bruscos
Sem levar em conta que a vida é feita deles
Do levantar, do cair, do escolher ir, do escolher permanecer
Permita sim, que as lágrimas caiam, sinta-as, aprende o que elas querem te ensinar
Escuta o que as lágrimas têm a falar
Lágrima fala mais que poesia
Pra no fim, deixar ir!

Suelen Vieira

De bandeja

Serviram-me de bandeja
Permiti
E ainda por cima,
Gostei
Em matéria de desejo
Fico mole
Condescendente
Em matéria de entrega
Perco o pulso
A firmeza
Entrego-me
Desejo-te
Sirvo-me a ti
Dou-me assim
Dói em mim
Faço escolhas não tão certas
Mas certamente, divertidas
Viro prato principal
Entrada e sobremesa
Numa brincadeira de suprir
Que não supre
Não alimenta
Fantasia louca
Eu numa mesa, entregue a fome alheia
Fantasia louca
Eu vulnerável, diante do lobo sedento
Ansiando pelo devoro
Ansiando ser devorada
Ansiando ser
Ansiando sentir


Suelen Vieira

Da carne pro papel

Sai da carne pro papel,
pois bem,
boa leitura, meu bem.
Lembre-se
É a carne que estás a ler.
Leia com carinho,
com atenção
por favor né.
Sem pressa, ué..
Pra que correr,
leia cada linha,
releia,
foi tão doloroso escrever,
que até merece compreensão.
Sai da carne pro papel,
escritos em sangue,
sangue vivo,
que berra,
e ele berra, e eu transcrevo.
E apenas transcrevo,
que pretensão seria a minha,
julgar-me criadora
de uma história já contada,
ou melhor,
berrada,
eu só relato,
só conto fatos.
Tente não julgar, tá?
Se não for possível,
tente ao menos,
não condenar.
Porque a letra fria que lês,
foi sangue,
e o parágrafo cinza,
foi carne.

Suelen Vieira

Reciprocidade

Ele queria sexo
Ela também
Ele queria só sexo
Ela, além Ela queria se envolver
Ele já não
Ela queria se entregar
Ele não podia receber
Mas ela se entregou
Mas ele, não pôde receber
Não recebeu Ela se perdeu
E não foi por falta de aviso
Ele avisou
Ela se avisou
Tudo indicou esse fim
Ela quis mesmo assim E esse título aí, quando vai falar de reciprocidade em si?
E não se trata, tudo isso, da dita cuja uai?
Reciprocidade no que quer que fosse
Resolveria tudo Ele queria sexo
Ela também
Ele queria só sexo
Ela também
Sexo eram
Sexo foram Ela queria se envolver
Ele também
Ela queria se entregar
Ele, receber
Envolvimento eram
Entrega foram Tá vendo só, o problema não são os desejos, e sim a dissonância deles
A falta de reciprocidade, de troca.. Reciprocidade é sentimento
E torna todos os outros, mais leves
É a delícia de emitir, e receber de volta!

Suelen Vieira