Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2017

Sen(s)ações

Senti que peguei o último trem,
senti que desci na última estação,
senti que caminhei em fila indiana
rumo ao fim de mim mesma. O último dos fins. Senti que senti minha morte,
senti que todo mundo ali sentia,
a minha e a deles,
eu estava sozinha no meio da multidão. Senti que todos estávamos. Milhares de pessoas reunidas,
e sozinhas em si,
sozinhas e trancafiadas em suas mentes,
que só mentem, e mentem, e mentem. Senti esgotamento físico. E a morte já nem era tão temida. Senti que cada passo era rumo ao abismo,
senti o coração desacelerar cada vez mais,
a mente calar a porra da boca,
parar de me enganar. O relógio era enorme, e marcava hora nenhuma. Último trem,
última estação,
última mulher,
último cigarro,
último adeus De uma série maldita de adeuses. Senti que deveria orar,
e fazer algo poético,
não quis. Quis mandar todo mundo se foder,
chamar todos de egoístas.
Dizer que somos todos crianças
preocupadas única e exclusivamente
com a porra da meleca do nosso próprio
[umbigo. Uma série de seres infelizes…

Deita

Vou me deitar
que é pra te amar
na horizontal. Deita aqui do lado
pra admirarmos
o luar. Contar estrelas,
e catar
as cadentes. Vira mar
em meus lábios,
agora(!) Vira amar
no meu peito,
urgente(!) Vou me deitar,
admirar-te
virando luar... Admirar-te,
virando e caindo,
verde relva sobre
[mim. Chove comigo,
de prazer e
de dor. É tanto amor
que sinto a sanidade
sumir. Escapa entre os dedos,
os meus.
Os seus passeiam,
[por mim. Respira-me,
até de fato
eu virar ar. Ah, meu amor...
Você me bagunçou,
já nem sei quem sou. Se sou eu,
ou sombra
sua. Se sou minha,
ou toda
tua. Meu desejo,
seu desejo,
nos matando. Deita-te aqui,
e observa
o nosso amar
nos consumir! - Suelen Vieira

Shhh!

Shhh!
Silêncio,
Cala-te,
Cale-se. Shhh!
Beija-me,
Toca-me,
Ama-me. Shhh!
Veja-me,
Sente-me,
Beba-me. Shhh!
Me. Shhh!
Eee.. Shhh! Suelen Vieira

Querubim

Quero acordar do seu lado, nua.
Quero teu cheiro na pele, crua.
Quero que cê queira ficar, tá?!
Que não queira ir embora, nunca. Quero que me queira pelo dia inteiro,
sem nem perceber que tanto quer isso.
Quero um café e um almoço contigo.
Ou quem sabe até esquecer de comer. Esquecer de ter fome,
e me alimentar de você,
e me doar pra você,
e me perder no teu ser. Quero teu sorriso mais bobo,
teu olhar mais sincero,
teu colo, teu aconchego,
teu abraço apertado. Quero tuas singelas palavras,
teu carinho, teu cafuné,
teu calor, teu amor,
tua entrega completa. Quero a mais simples
complexidade,
tua presença inteira,
sem alarde. Quero baixinho,
devagarinho,
sem gritar aos
quatro ventos. Quero bem alto,
bem exagerado,
bem cafona,
um drama, de fato. Quero a comédia romântica
mais boba da globo,
e você do meu lado,
topo até filme dublado. Quero a festa mais barulhenta,
de todas as festas mais barulhentas,
de mão dada contigo,
topo até a sertaneja balada. Quero a paz de repousar
em seus olhos,
em seu peito,
em você. Quero os…

BORRA

Isso,
borra o batom,
me borra do quadro da vida,
me borra de mim. Isso,
me pega por trás,
me faz tua,
me come agora, um pedido,
uma ordem,
uma prece:
Me fode! Isso,
enfia todos os dedos,
nos cabelos,
na boca, em mim toda. Isso,
enlouqueça comigo,
solta teu rugido,
quero perder os sentidos. Me faz esquecer
horas,
dias,
quantas,
duas? Eu gosto com força,
me aperta,
me morde,
me bate,
goza. Vou te querer tanto,
que você vai se assustar
com o gemido que sai de mim,
que vem lá do diafragma. Não,
não sou bruxa nem nada.
Só estou ensandecida,
possuída de prazer. Não,
não sou louca nem nada,
só estou,
e é por você. Já fiquei por cima,
já fiquei de lado,
começa tudo de novo,
me coloca de quatro. Eu dou o aval,
chama de puta,
vadia, cretina,
gostosa, teu mal. Enquanto não estivermos
sem forças,
consumidos,
a gente não para. Perna tremendo,
pele suada,
rosto vermelho,
sou tua, e mais nada. - Suelen Vieira

POESIA A DOIS

Ser poesia sozinha, lindo.
Ser poesia a dois, raro.
Ser poesia contigo, amor.
É assim, assim somos. Poesia escrita na carne,
Poesia escrita na areia,
Poesia feita e refeita. Eu me escrevo,
Faço meus melhores versos,
E te entrego.
E me entrego.
E te imploro,
Leia-me. A gente funde nossas melhores palavras,
Nossas melhores citações,
A gente se transforma em algo único,
Recriamos nossas melhores versões. De duas, tornamos-nos um só ser,
Um ser que desafia o infinito,
O tempo,
E o espaço. Você me surge e me suga,
Você me surge e me sorri,
E eu sorrio de volta,
E meu corpo vira riso. Você me toca,
E o que pingava,
Agora transborda. Quando pensamos estarmos prestes a nos afogar, o amor nos salva. Teu beijo deixa minha carne trêmula,
Teu toque me faz virar mar,
Eu viro a imensidão do mar em teus lábios. Cada troca uma descoberta
Tenho sede de você
Vontade de te abrigar em mim. Virar casa, te acolher.
Virar sol, te aquecer.
Virar mar, te molhar. Eu tenho sede, sede de você. - Suelen Vieira

Suspiro

A vida é feita de suspiros e gemidos.
Longos suspiros de amor,
gemidos de prazer
e dor. Suspiros de contemplar
a natureza,
e o vazio
da existência. Gemidos de concordar,
e de discordar.
Gemidos de calar,
e de tudo falar. Suspiros de mente vazia,
e de mente cheia.
Suspiros de sorrir,
e depois de chorar. Gemido alto,
gemido baixo,
gemido que escapa
por entre os dedos. Suspiro ao escrever,
ao olhar pro nada.
Suspiro, aquele de fim,
antes de tudo morrer. Gemido que tenta se conter,
que tenta se fingir.
Gemido que tenta fugir,
que tenta correr. Suspiro de fumaça,
suspiro de silêncio,
suspiro de chegada,
suspiro de partida. A vida é feita das pausas,
entre um gemido e um suspiro,
um suspiro e um gemido. (Um longo suspiro) Aguardo o gemido. - Suelen Vieira

O que é?

É amor,
Ou algo que me faz pensar em você e sorrir, e às vezes fazer também uma expressão de dor.
É amor,
Ou algo que me faz querer tanto o seu bem, e desejar o seu final feliz, quase tanto quanto você.
É amor,
Uma evolução do que eu sei de amor até aqui.
É amor,
Uma melhora de mim.
É amor,
Quando ele se estende, se estende, se estende, e vai bem mais além de mim, ou de ti.
É amor..
Eu acho que é amor. Suelen Vieira

Quadro

Eu vou te emoldurar,
Vou te transformar num quadro,
Vou te encher de belas rosas,
E também belos jasmins. Eu vou te emoldurar,
Para nunca me esquecer,
Que tu és o meu favorito ser.
E na mais bela das artes
Eu ei de te transformar. Eu vou colocar
Cada lágrima dessa de amor,
E quem pr'esse quadro olhar
Vai então se emocionar
Aos ver as cores do teu luar. Não preciso nem falar
Quem é a moça da pintura,
Se lhe amar me dói assim
Só pode ela ser uma. A menina virou mãe
Fez mulher da tua menina,
E essa mulher que se fez
Serás para sempre tua. Não deveria te amar
Mais do que eu amo a mim,
Mas te amo mesmo assim.
E por isso pintarei
O teu quadro
Minha lua. Tô regando suas rosas
Com o melhor que há em mim,
Colho e ofereço a ti
Flores do meu jardim.
E te digo minha mãe,
Por favor cuida de mim. Suelen Vieira

Só nós duas

Eu a vi e já não conseguia parar de olhá-la.
O mover era único,
E a música latina parecia abraçá-la,
Conduzi-la pela pista,
Já eu,
Tirava sua roupa, e a devorava,
Só com o olhar. Ela veio em minha direção,
E agora a música nos abraçava,
Girávamos,
De olhos dados. Já não havia mais ninguém,
Só nós duas,
Unidas por um olhar,
E toda uma aquarela. Sorria com os olhos,
E com o sorriso seduzia,
Conduzia com o corpo,
O que minha mente pedia. A beleza, a espontaneidade,
E a leveza ao se aproximar. Eu me encantei, e ela também.
- Essa noite é nossa. Somos só eu e você. Trancadas no banheiro, ignorando batidas na porta.
Somos só eu e você.
Beijos, toques e carícias.
Eu e você.
Peças pelo chão.
Amor sobre a pia.
Eu e você. - Você tá muito molhada meu bem.
- Me beija, me beija.
Eu e você.
Dez minutos de êxtase...
- Vamos embora daqui, eu preciso te ter.
- Vamos!
Eu e você. Noite e dia, ganhos.
Só eu e você. - Suelen Vieira
Foto: Cristóbal Escanilla

Puta

Você já foi chamada de puta? Eu já! Eles sentam na mesa do bar, e começam: já peguei, já comi, pego, vadia, gostosa, dá pra geral, deu pra mim e pra mais dois camaradas. Eles falam do formato dos seus seios, e também da sua...  Quando digo eles, quero dizer os moleques, é claro.
Eles definem quem é pra namorar e quem não é, Quem é pra transar e quem não é. Gostosa, gordinha, tem celulite, cabeluda. Muda, escandalosa, geme igual atriz pornô. Boceta lindinha, rosinha. Boceta roxa, mas eu como.
Eles tentam gravar vídeo da sua bunda de vez em quando, e se conseguirem vão jogar no grupo dos brothers na mesma hora, tô comendo bem hein. Hipócritas, é o que eles são. Pois a mulher "deles" não pode ter um passado, e a filha deles então... Elas não podem ter "dado" pra muitos caras, não não. Mulher minha tem que se dar o respeito, eles repetem por aí. E é dessa hipocrisia fodida que vem o mal hábito, de mulher ter número máximo de fodas na vida. Mas foder é tão bom, mas não pode ser tão bom …

Rustie - Attak ft. Danny Brown

Não consigo não me mover com esse som!

Sinto falta

Sinto falta de como eu me sentia com você,
Do meu sorriso ao seu lado,
Da minha paz em sua companhia. Sinto falta da forma que me tocava,
Do roçar da barba,
E do carinho que em ti fazia. Sinto não lembrar do seu cheiro,
Sinto não lembrar o timbre da sua voz,
E como seus olhos ficavam quando sorria. Sinto falta do que éramos,
Do que podíamos nos tornar,
De como podíamos virar obra-prima. Sinto falta das brincadeiras,
Dos segredos compartilhados,
Mas não sinto das mentiras. Sinto falta do abraço,
O quão segura me sentia,
Mas não sinto daquele de partida. Sinto falta dos teus lábios,
E deles a percorrer todo meu corpo,
Mas não de quando eles disseram "É, eu largo a toalha." Sinto falta do teu olhar,
Da intensidade ao dizer que me amava,
Mas não sinto das lágrimas que escorreram, na nossa última briga. Eu sinto falta de você,
Mesmo, pra valer.
Do seu corpo, seu cheiro, nosso amor e seu toque.
Mas já não sei no que nos tornaríamos. - Suelen Vieira

Casual

Eles conversaram durante uma semana, e resolveram se encontrar. Pré-acordo de casualidade estabelecido com sutileza, sendo assim, vamos ao sexo. Ela pensava “É de uma transa casual que eu preciso. É certamente isso.” Já ele não pensava muito no assunto.
A saída: –  Posso te buscar às 22h então? – Ela leu, e sentiu seu coração acelerar. – Okay – Digitou e enviou em seguida, querendo parecer o mais despretensiosa o possível. Enquanto escolhia uma roupa, ela pensava “Por que estou tão ansiosa? Estou enjoada? Sério? Acho que quero vomitar. Não é nada demais, só uma saída, garota.” Tomou um banho, vestiu uma calça jeans, pra que não parecesse aqueles encontros específicos pra sexo, ainda que fosse um encontro específico pra sexo. Passou o seu melhor perfume. Fez aquela maquiagem, que faz parecer que não se está usando maquiagem alguma. E estava pronta. Cerca de dez minutos depois do horário combinado, uma mensagem chega: – Me enrolei um pouco, mas já estou chegando. Ela ficou sentada no …

Capricorniana

A capricorniana está na mitologia grega como aquele ser misterioso, que cospe gelo, quer congelar todos ao redor, e ser a todo custo, a rainha desse topo de gelo. Aliás, mitologia grega que nada, crendice popular mesmo.
Ainda que fosse real, gelo por um acaso não queima como o fogo?
Ela queima, derrete, arde, vira pó, renasce. Tudo isso sem mudar a expressão do rosto. Ela é uma bagunça metodicamente organizada.
Antes de te encontrar ela treina o ‘Oi’ dela, o teu ‘Oi’ e o ‘Como vai?’ que se segue, de ambos. Ela treina a fala, a réplica, a tréplica, e ai de quem não seguir o script.
Quatro elementos: Ar, água, fogo e terra. Quem mais terra que ela? A palavra chave pra ela é ‘certeza’. Ela quer certezas. Ela quer ter a certeza, que você quer com certeza, aquilo que nem ela sabe ainda se quer, ao certo. Mas ela precisa ouvir o:
- Sim, eu quero!
Para então dizer:
- Ah, legal. Vou pensar a respeito e te digo se quero tá. Não me pressione.
Loucas.
Interessantes.
Determinadíssimas.
Intensas.
Nervosas.
An…

Leal

Seja leal, mesmo quando escolher não ser fiel, seja leal.
Leal a você mesmo.
Leal com quem você se envolve.
Leal com aqueles que você envolve em suas histórias.
Respeite sua verdade, sempre.
Suelen Vieira

Carta as minhas paixões

Eu amei vocês. Amei vocês com todas as minhas forças. Amei vocês de todo o meu ser. Amei com as entranhas. Amei com o coração, as tripas, o estômago. Amei vocês com o esôfago, com o diafragma. Amei vocês com o espírito, com a alma, com o perispírito, com a carcaça que me sobrava. Eu amei vocês com minha carne, pura carne, pura luxuria, puro pecado. Eu amei vocês com meu sexo, sexo insadecido, sexo enlouquecido, sexo apaixonado. Amei vocês com minha paixão doente, meu ciúmes exagerado. Amei vocês de preto, e de rosa. Amei vocês no meio da rua, e no hotel mais caro. Amei vocês no caderno, no diário, no texto digitado, e no texto blogado.
Eu amei.
Eu amo.
Eu amor.
Eu sou amor.
Eu sou puro e louco amor.
Amei vocês nas músicas, nos filmes, nas lágrimas derramadas.
Amei vocês na cama, no quarto, nas gozas gozadas.
Amei vocês pela manhã, pela madrugada, nas noites acordas.
Amei vocês nas brigas, nos acertos, nas distorções de mim mesma.
Amei vocês nos porres, nas bebedeiras, nas boemias.
Amei.
Amei.
Ame…

Feliz dia dos namorados

Ela começou a escrever ao som de "What's up?" de 4 Non Blondes. Implorando para não ser interrompida ou tirada desse clichê gigante em que ela se encontrava. Algumas lágrimas escorreram, mas sem sofrimento, lágrima de algo ou alguém. Vá até ela, eu te levo. Cidade diferente, noite de dia dos namorados, necessidade de riscar, de falar, de gritar sem ser interrompida.
Um entendimento, ela entendeu. Ela precisa se apaixonar por si mesma. Depois de tantas paixões desenfreadas, de perdas e ganhos calculados, ela entendeu. Ela precisa viver essa relação consigo mesma.
Ame-se. Ame-se. Ame-se. Ame-se. Ela não está dizendo que deixou de esperar pelo amor, ela mais que ninguém acredita e espera por ele, daqueles de balançar estruturas. Ela só compreendeu que ela precisa transbordar amor por ela mesma. Não deixou de acreditar no amor a dois. Pelo contrário, percebeu uma nova dimensão de amor. Aquele olho no olho com o reflexo. Hoje ela resolveu se presentear de várias formas. Hoje e…

Pegada

Há quem se espante,
Com minha forma de amar,
Com minha forma de querer ser tocada. Há quem recue,
Quem se assuste,
Quem não aguente o tranco
de me ver por cima,
Rebolando. Dona da porra toda,
Segura que está fazendo bem feito,
Segura que nesse quarto,
Nesse carro,
Nessa sala,
Nessa escada,
Nessa garagem,
Ou nessa praça,
Quem manda sou eu. E eu mando até quando estou obedecendo.
Te mando mandar e você adora.
Te cedo o comando e você se amarra. Há quem não aguente,
E eu não aguento eles. Pegada eu também tenho meu amor,
Eu te pego, sacou?! Não se assusta não,
Prometo não fazer nada que você não queira. - Suelen Vieira

Brindemos à tristeza

Eu estou fraca, estou frágil. Por ora não consigo fazer movimentos bruscos, por ora não consigo me erguer muito alto, por ora não consigo lidar com barulhos, desorganizações, multidões, por ora me concentro em minha respiração. E tudo bem. Tudo bem estar triste, tudo bem estar frágil. Tudo bem querer ficar quieta. Tudo bem. Tudo bem querer passar o fim de semana em casa, tudo bem não querer ver ninguém. Tudo bem ser casulo por um tempo, casulo vira o quê? Borboleta não é mesmo? Eu aceito essa fraqueza momentânea do mesmo jeito que aceito tudo na vida, pois que tudo é passageiro. Se é preciso se calar pra ouvir o que a alma pede, eu me calo. Com prazer, eu olho pra mim mesma, com prazer eu encaro minhas chagas, com prazer eu encaro o desprazer, com fé na vida, fé em mim. Eu calo, eu me aquieto, e eu me melhoro, e eu evoluo. Por fim agradeço, agradeço o momento, e durmo. Amanhã é um novo dia, ou talvez extensão dessa noite, amanhã eu tenho a mim de novo, amanhã estou aqui. Talvez melhor…

Relato

Olhos que se assustam com o branco na Crackolândia.
Olhos que se espantam com o preto na Disneylândia.
Olhos que se acostumam com o pretinho na rodoviária. Boca que pergunta, cadê sua mãe?
Para o loirinho, na mesma rodoviária.
Cotas não, todos somos igualmente capazes.
Aham, tá! [Faz o teste do pescoço, qual a cor da tua empregada? Seu texto é totalmente fora do contexto!
Que texto?
Num falei que era um texto.
Isso se trata,
Na verdade,
De um relato. Atentem-se para os fatos:
Foi em frente à minha casa,
foi do lado da casa da vó dele,
o tiro atravessou o boné, a voz atravessou a parede. - Olha a cara de bandido. Foi também em frente a minha casa,
pela fresta da janela.
Eu moleca não entendia,
Brincadeira de polícia e ladrão,
o ladrão dando a coca pra polícia. Vou contar só mais uma história,
pro relato não ser tão longo.
Lembra do tiro que atravessou o boné?
Pois é!
Ele estava a pé. Outro dia lá na mesma rua,
Entrou o vizinho, White color, fugindo dos cana
Depois de agradir a ex mulher. Fugindo da polícia.

Voltando

Tô louca pra que seu rosto suma dos contatos recentes.
Tô louca pra que seu rosto suma dos sonhos indecentes.
Tô louca pra deixar de estar louca, você me entende? Exilada de mim mesma,
Estou louca pra poder me aproximar de novo.
Perdida de mim mesma,
Estou louca pra me encontrar de novo. Noites mal dormidas de uma forma negativa.
Porque tem mal dormida boa né?
A gente sabe bem que tem. Tô louca pra que seu nome não me cause nada.
Tô louca pra que isso tudo, vire nada.
Tô louca pra não me sentir mais tão cansada.
- Suelen Vieira

Ela

Ela era assim, olhar angelical, olhando como quem está prestes a devorar tudo e todos ao redor. Quando ela olhou pra ele, tudo mundo já sabia. Ela vai foder com sua alma, ela ia.
Um convite silencioso partiam dos olhos verdes, um convite:
- Fica comigo!
Ela não falou, tampouco ele ouviu. Mas o fica comigo estava ali, entre os dois.
Ela queria ser salva de si mesma. Ele queria salvá-la do mundo todo. Suelen Vieira

Hoje

Hoje eu quero ser eu
sem ter que me esforçar.
Ser eu naturalmente,
sob a luz, ou sob a meia luz.
Sob você, ou sobre você.
Sobretudo, ser eu
no que diz respeito
sobre você.
Ser eu sem vergonhas,
e ser sem-vergonha.
Por que não? Suelen Vieira

Texto

Eu sou uma série de textos
começados
e não terminados,
uma série de rascunhos,
uma série de parágrafos 
abandonados. Eu sou a bagunça
do texto escrito
no momento exato
da sua criação. Eu sou o caos
que é o caderno da menina,
e todo o amor que nele há.
E toda a dor.
E toda a melodia.
E por fim,
toda a poesia. Eu sou poesia. Texto pronto,
texto alinhado,
eu sou poema. Texto chorado,
texto berrado,
eu sou verso. Eu sou poesia. - Suelen Vieira
Imagem: Julie de Waroquier